domingo, 3 de novembro de 2013

Tarte Tatin de Tomate

Há uns tempos vi esta receita num site e fiquei sempre a pensar nela. Para mim, uma tarte tatin é uma daquelas sobremesas que me enche as medidas; a maçã caramelizada, a massa folhada estaladiça e o factor supresa antes de a virar tem tudo para ser uma sobremesa emocionante.
Esta receita é uma entrada e embora a época do tomate já tenha acabado, soube mesmo bem porque foi servida ainda morna e acabou por ser aconchegante.




























Para 8 pessoas usei:
11 Tomates Chucha grandes cortados longitudinalmente
1 Massa Folhada fresca (embalagem de massa enrolada)
2 c sopa Manteiga
1 c sopa cheia Açúcar amarelo
Manjericão fresco
Azeite
Vinagre Balsâmico
Sal

Numa frigideira grande, derreter 1c.sopa de manteiga e colocar o tomate com o lado cortado para baixo.
Temperar com um pouco de sal.
Deixar amolecer em lume médio durante 10 minutos ou até estarem moles.
Numa frigideira de 25cm que vá ao forno, derreter o resto da manteiga, colocar açúcar e por fim, colocar o tomate sem a calda que criou, com a parte cortada para baixo. Colocar folhas de manjericão e tapar com a massa folhada.
Vai ao forno a 220º durante 15 min ou até a massa estar dourada e totalmente cozida.
No fim, deixar repousar 5 min e virar para cima de um prato de servir.
Antes de ir para a mesa, salpicar com mais umas folhas de manjericão, azeite e vinagre balsâmico.

Nota: A receita original está aqui

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Sopa Mini Abóbora

Elegi o mês de Outubro como o mês da Abóbora. E quando a minha Mãe me bateu à porta com umas mini abóboras não resisti em fazer uma sopa de abóbora e coentros.
Estas mini abóboras são um pouco maiores que laranjas, repletas de sabores doces e terrestres, quase como uma batata-doce.

























Para 4 pessoas usei:
4 Mini Abóboras
1Kg Abóbora cortada aos bocados
1L Caldo Galinha
1/2 molho Coentros
Azeite
Sal e Pimenta qb

Ligar o forno a 200º.
Cortar os topos das mini abóboras e com uma colher tirar as pevides. Colocar as mini abóboras viradas para baixo numa travessa e vão ao forno durante 30min. Passado esse tempo, retirar e reservar.
Numa panela, colocar azeite, a abóbora aos cubos e aloirar um pouco. Juntar o caldo de galinha e deixar ferver. Baixar o lume, tapar e deixar cozinhar até a abóbora se desfazer. Temperar com sal e pimenta. No fim, juntar os coentros e bater a sopa no liquidificador para ficar cremosa.
Encher as mini abóboras com a sopa e servir de imediato.

Nota: Esta receita pode ser feita com uma abóbora grande, nesse caso, depois de ter ido ao forno, raspar  parte da "carne" da abóbora para fazer a sopa.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Occidens Warm Salad

No outro dia, uns amigos ofereceram-me uma garrafa de puro ouro. Um azeite biológico, 100% português, super suave (0.3º) e simplesmente maravilhoso. O Azeite Occidens.
Adoro estas iniciativas; quando aproveitam o melhor que a nossa terra nos oferece e transformam com amor e carinho de forma a mostrar produtos premium de uma qualidade extrema.

Hoje o Sol decidiu espreitar e num calor morno, decidi fazer uma salada morna de abóbora e feta regada com azeite Occidens.
As abóboras já estão doces e maduras e contrastam bem com o salgado do queijo feta, tiras de presunto e amêndoas torradas.

























Para 2 pessoas usei:
Alface Lisa
Rúcula
2 gomos de Abóbora-Moranga
Queijo Feta
1 fatia de Pão Alentejano (ou outro)
1 fatia Presunto Parma
Amêndoas laminadas torradas
Azeite occidens
Vinagre
1 c. sobremesa Mel
Sal e Pimenta qb

Ligar o forno no máximo na função grill.
Colocar numa travessa a abóbora cortada em fatias com um fio de azeite. Vai ao forno durante 20min. A meio, virar a abóbora e colocar o pão cortado em cubos e o presunto cortado em tiras. Retirar do forno quando a abóbora estiver tenra nas bordas.
Numa travessa, colocar a alface, a rúcula, a abóbora ainda morna, o pão, o presunto, o queijo esfarelado e as amêndoas.
Fazer o tempero com o azeite Occidens, o vinagre, o mel, sal e pimenta e deitar por cima da salada.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Ceviche Salmão

Se há um casamento que não defrauda é o salmão e limão. Um salmão fresco e intenso envolvido num sumo de limão vibrante não há como falhar. Uma combinação perfeita!





































Para 6 pessoas usei:
4 lombos Salmão descongelados (costumo comprar Lombos Salmão congelados Norge)
1 Pera Abacate
3 Limões
2 limas
Ovas de Salmão
Coentros picados
Azeite
Sal e Pimenta qb

Numa tigela colocar o salmão e o abacate cortado aos cubos pequenos, as ovas e os coentros.
Meia hora antes de servir, colocar o sumo dos limões e lima, sal e pimenta.
Deixar que os sumos ácidos comecem a "cozinhar" o salmão, regar com um fio de azeite, rectificar os temperos e servir fresco.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Leite creme de Maracujá

Esta sobremesa é uma aposta vencedora em qualquer jantar. Não há como sair mal e mais uma vez, não sobrou nada!































Para 6 pessoas usei:
5 Gemas desfeitas
150gr Açúcar
20gr Maisena
500ml Leite
2 pacotes de polpa Maracujá Brasfrut descongelada
3 Maracujás
Açúcar qb para queimar

Numa panela colocar o leite, maisena e açúcar. Mexer bem para dissolver todos os ingredientes. Ligar o lume e deixar ferver durante 3 minutos.
Baixar o lume e juntar as gemas desfeitas pouco a pouco e mexer bem com umas varas.
Não parar de mexer até ter uma consistência de creme espesso. Nesta fase juntar as polpas de maracujá e mexer bem.
Tirar do lume e colocar em taças individuais ou numa grande. Deixar arrefecer e vai ao frio até ser servido.
Antes de ir para a mesa, polvilhar com açúcar e queimar com o maçarico.

Nota: Esta receita foi inspirada no blog Flagrante Delícia.

Salmão Marinado com Risotto de Lima

Esta semana a nossa mesa redonda esteve novamente completa com amigos. E cada vez que isso acontece, tento pensar em todos os pratos que já fiz e em que é que posso inovar.

Tenho sempre no congelador lombos de salmão, dá para qualquer ocasião, ao vapor para os miúdos, grelhado para nós ou marinado com açúcar e molho de soja para um jantar mais requintado.
E assim foi, acompanhado com um risotto de lima.


























Para 6 pessoas usei:
9 lombos de Salmão da Noruega descongelados
4 c. sopa de Açúcar amarelo
1 c. sopa de molho de soja
Pimenta preta moída
Flor de Sal em escamas
1 fio Azeite

500gr Arroz arbóreo
1,5L Caldo de Legumes
2 Alho-Francês (parte branca) cortado em rodelas finas
1 copo Vinho branco cheio
3 Limas, sumo e raspas
Azeite
Sal e pimenta qb

Risotto:
Numa panela larga, refogar o alho-francês com azeite em lume médio de forma a ficar translúcido e não queimado.
Quando o alho-francês estiver dourado, colocar o arroz em lume alto e fritar.
Quando estiver a colar no fundo da panela, deitar o vinho branco e mexer bem até que comece a colar no fundo novamente e aí colocar 1 concha de sopa do caldo.
Nesta altura ajustar o lume para que o caldo não seque rapidamente e o arroz não esteja sempre a colar.
Continuar a mexer até que cole novamente e repetir o processo sempre sem parar de mexer.
Quando o arroz estiver quase cozido, ajustar os temperos com sal, pimenta e por fim o sumo de lima.
Mesmo antes de servir, juntar uma boa concha do caldo e polvilhar com as raspas de lima.

Salmão:
Num saco de conservação de legumes grande, colocar os lombos de salmão, o açúcar, o molho de soja e pimenta. Fechar e deixar marinar durante 1 hora.
Retirar o salmão do saco e deitar fora a marinada.
Numa frigideira larga bem quente, colocar um fio de azeite e deitar o salmão. Fritar 30 segundos de cada lado em lume alto.
Retirar e salpicar com flor de sal por cima e servir.

Nota: A quantidade do sumo de lima no risotto deverá ser a gosto, aconselho a que se vá provando antes de deitar todo.
Pessoalmente acho que a flor de sal em escamas faz a diferença neste prato, a textura em escamas do sal derrete-se pouco, nota-se a textura, mas não é grosso como o sal grosso corrente, nem demasiado húmido como a flor de sal normal.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Ceviche de Dourada

O calor já está a ameaçar ir-se embora e de repente fiquei logo com saudades daqueles fins de tarde quentes, que rematam um dia bem passado. E foi exactamente assim que me senti neste fim-de-semana....
Decidi fazer um ceviche que me lembra os dias que passei no Panamá no fim de uma viagem de sonho.


























Para 8 pessoas usei:
400gr de filetes Dourada sem pele e sem espinhas
10 Limas (sumo)
1/4 Pimento Vermelho cortado em fatias finas
1/2 Cebola Roxa cortada em fatias finas
Coentros picados qb
Azeite
Sal e Pimenta qb

Numa taça colocar o peixe cortado aos cubos, o sumo de lima, a cebola e o pimento. Tapar com plástico e levar ao frio durante 2 horas.
Meia hora antes de servir, retirar do frio, temperar com azeite, coentros, sal e pimenta.
Servir com uma salada de tomate maduro.

Nota: O ceviche pode ser feito com vários tipos de peixe. O mais comum é a pescada e o linguado.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Salmonetes com Açorda

Estes nossos amigos que se sentaram na nossa mesa redonda no último jantar, são fáceis de agradar. Eu sei que qualquer coisa seria bom, mas dá um enorme prazer oferecer-lhes um prato simples mas sofisticado. Adoraram!
Fui à peixaria e vi uns salmonetes frescos, com o olho transparente e super rosados que não resisti em comprar. E nada melhor para acompanhar que uma açorda de berbigão!


























Para 4 pessoas usei:
6 Salmonetes tamanho médio/pequeno cortado em filetes (Pedi para cortar em filetes e reservar as cabeças e as espinhas)
6 Pães de mistura seco (o ideal é o pão mais denso possível, alentejano por exemplo)
2 latas de Berbigão ao natural (nesta altura do ano não se pode comer bivalves)
1 Cebola grande
4 dentes de Alho
3 Gemas
Coentros
Azeite
1 c. sopa Manteiga
Limão
Sal e Pimenta qb
Ovas de Lumpo pretas (opcional)

Partir o pão em pedaços e colocar numa tigela com água para hidratar.
Picar a cebola e deixar refogar com azeite numa panela grande em lume brando.
Numa panela, ferver um fundo de água com sal e deitar as cabeças e as espinhas dos salmonetes de forma a ter um caldo simples. Cozer durante 10 minutos, coar e reservar.
Com uma pinça, retirar as espinhas dos filetes, temperar com sal, pimenta e reservar.
Quando a cebola estiver aloirada, juntar o alho picado e aloirar mais um pouco.
Quando o refogado estiver feito, juntar o pão que foi escorrido entretanto, e fritar um pouco sem parar de mexer.
Sempre que secar, juntar um pouco o caldo do peixe. Não será necessário muito.
No fim, juntar os berbigões com o caldo natural, temperar com sal, pimenta e juntar os coentros.
Quando desligar o lume, e mesmo antes de servir, juntar as gemas desfeitas.
Numa frigideira bem quente, derreter a manteiga com um pouco de azeite e fritar os filetes com a pele para baixo durante 2 minutos, virar e fritar mais 1 minuto. Retirar do lume e juntar um pouco de sumo de limão ao molho.
Servir a açorda, os filetes e colocar por cima um pouco de ovas de lumpo que conferem um toque a mar.

domingo, 25 de agosto de 2013

Terrina Caprese

Há um site brasileiro de uma amiga que me ajuda nos dias de pouca inspiração. Esta fantástica receita foi "tirada" de lá e não podia ter sido melhor para entrar no jantar de ontem.
Encontrei aquele tomate doce, carnudo e super maravilhoso desta época e claro, não pude deixar de fazer esta terrina caprese.


























Para 6 pessoas usei:
4 Tomates grandes coração de boi
2 Mozzarella de Búfala
Manjericão
36gr de Gelatina em folha (4 embalagens)
Azeite
Aceto Balsâmico
Sal qb

Num copo liquidificador colocar o tomate cortado e bater tudo muito bem. Coar para dentro de uma panela para ficar com um sumo limpo sem cascas e sem sementes.
Numa taça com água fria, colocar as folhas de gelatina durante 10 minutos ou até estarem moles e hidratadas.
Aquecer o sumo de tomate e antes de começar a ferver, desligar o lume e juntar a gelatina escorrida para derreter. Mexer bem para não criar grumos. Temperar com sal e deixar arrefecer.
Numa forma rectangular, untar com azeite e forrar muito bem com película transparente de forma a deixar bastante película para os lados.
Deitar a gelatina de tomate na forma, depois colocar a mozzarella em fatias, o majericão cortado e assim sucessivamente até ao topo da forma.
Tapar com as abas da película e vai ao frigorífico de uma dia para o outro.
Ao servir, temperar com azeite e aceto balsâmico.

Nota: Deixo aqui o site da minha amiga que vale muito a pena ser visitado.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Salmão ao vapor

Estive de férias. Significa que estive num estágio intensivo de churrascos, sandwiches, petiscos e etc... Foi óptimo, mas também foi bom chegar a casa, retomar a monotonía que tanto queremos largar.
Enfim, só me tem apetecido coisas leves e saudáveis e nada melhor que um peixe e legumes ao vapor.
Este prato é leve, simples, saudável, é tudo o que se pode pedir num regresso a casa. Não tem grande glamour, eu sei, mas foi mesmo o que me apeteceu!
Numa versão mais reconfortante para o meu marido, acrescentei molho holandês.


























Para 2 pessoas usei:
2 filetes de Salmão fresco
1 Limão
4 Batatas vermelhas
150gr Ervilhas
Salsa picada
Sal e Pimenta qb

Numa panela, colocar água a ferver para criar o vapor.
Colocar numa rede própria para cozer a vapor, as batatas com um pouco de sal. Deixar cozinhar mais ou menos 1h ou até estarem cozidas. Retirar da rede.
Depois, colocar as ervilhas. Deixar cozinhar 15 min ou até ficarem tenras.
Nos últimos 3 minutos, acrescentar uma rede com o fundo forrados de limão às rodelas e o salmão previamente temperado por cima.
No fim basta empratar e salpicar com a salsa picada.

Nota: Não deixar o salmão cozinhar demasiado tempo pois pode ficar rijo e com menos sabor.

Para o Molho Holandês:
2 Gemas desfeitas
1 c. sobremesa de molho Inglês
1 c. sopa de água
1 c. sopa de sumo de limão
80 gr de manteiga derretida
Sal e Pimenta preta acabada de moer

Colocar numa tigela todos os ingredientes excepto a manteiga derretida.
Colocar a tigela numa panela com água quente para cozer em banho-maria e não parar de mexer com umas varas. A água não deve ferver para as gemas não talharem.
Aos poucos acrescentar a manteiga à medida que o molho vai engrossando. Se ficar demasiado grosso, pode-se acrescentar um pouco de água.
Quando estiver pronto, é necessário tapar até ser utilizado para não arrefecer.

sábado, 10 de agosto de 2013

Figos Alentejanos

Não vou publicar nenhuma receita, mas mais um estado de espírito.
Por aqui os dias estão quentes, o sol abrasador e os figos deliciosos. Há que aproveitar!
Boas férias!

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Sopa Exótica de Abóbora

Esta receita foi-me dada pela minha Mãe. Quando ouvi os ingredientes pensei logo na minha cabeça: Claro, mas isto é óbvio!
Uma sopa aveludada, doce no início, o travo a côco no meio e o floral do gengibre no final da boca.
3 ingredientes chave que casam lindamente e eu nunca tinha pensado...
E ainda uma característica fantástica é que fica maravilhosa quente ou mesmo fria nestes dias de calor!
Enfim, estou sempre a aprender e não quis deixar de partilhar esta receita simplesmente fenomenal!


























Para 8 pessoas usei:
1,5kg Abóbora
400 ml Leite Côco
1 c. sopa Gengibre fresco ralado
Azeite
Sal e Pimenta qb

Numa panela colocar a abóbora a estufar com um pouco de azeite. Se começar a colar ao fundo, colocar um pouco de água quente.
Quando estiver cozinhada, juntar o leite de côco e o gengibre. Temperar com sal e pimenta.
Deixar apurar um pouco e bater tudo no liquidificador.
Rectificar os temperos e deixar arrefecer caso seja servida fria.

Simples, não é?!

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Caril de Vieiras

Nunca fui à Índia, talvez um dia me aventure nessa viagem, mas adoro a ideia de uma Índia perfumada, cheia de especiarias, gengibre, cominhos, coentros... todos esses sabores que adoro e me fazem água na boca.
E claro, adoro um bom caril!
Para mim, isso não significa só aquele caril carregados de especiarias super perfumado e autêntico, (tal como imagino que a India é), mas também aquele com sabores equilibrados, delicados e fáceis de provar para qualquer pessoa que se senta à minha mesa.
Também delicadas são as vieiras que têm que ser cozinhadas no ponto para não ficarem elásticas e as gambas para não perderem o sabor.
Sei que não é uma receita autêntica, mas é a minha versão de um bom caril.


























Para 8 Pessoas usei:
800gr de miolo Vieiras com coral (grandes) congeladas
1kg Gambas descascadas
2 Cebolas bem picadas
3 dentes de Alho picados
1 c. sopa Côco ralado (opcional)
Gengibre fresco ralado (equivalente a 1 dente de alho)
Caril em pó qb
Cominhos em pó qb
2 latas Leite de Côco
Azeite
Coentros picados
Sal e Pimenta qb
1/4 Malagueta opcional

Descongelar as Vieiras (e as gambas se forem congeladas), reservar a água e seca-las bem.
Numa panela refogar a cebola com azeite. Quando estiver bem aloirada, juntar o alho, o gengibre, o caril, os cominhos, a malagueta, sal e pimenta. Deixar "abrir" os sabores durante uns 30s em lume alto.
Juntar o leite de côco, o côco ralado e deixar cozinhar tudo em lume baixo com a tampa.
Numa frigideira anti-aderente bem quente, colocar um fio de azeite e saltear as vieiras, temperadas com sal, 20s de cada lado. Reservar.
Na panela do caril, juntar a água das vieiras até obter a consistência e o volume desejado.
Quando os sabores estiverem equilibrados e o molho borbulhar, juntar as gambas e deixar cozer uns minutos.
Retirar do lume e acrescentar as vieiras salteadas, envolver tudo.
Antes de ir à mesas, salpicar com os coentros frescos.

Nota: Eu sou alérgica a camarões, por isso nesta receita foram incluídos apenas no fim, onde não largaram muito "sumo" e permitiram-me comer.
Se não fosse, aproveitaria as cascas e cabeças, faria um caldo com um pouco de água para aproveitar os sabores das gambas e misturaria no caril.

Não costumo colocar côco ralado no caril, mas senti que este necessitava de mais uma textura.

domingo, 28 de julho de 2013

Sopa fria de Pepino

Os dias estão quentes e nada melhor do que começar um jantar com uma sopa fria e fresca.
Apesar de parecer, não estou a falar numa sopa de melão com presunto, mas sim numa sopa de pepino com atum fresco.
O pepino é leve e o atum confere um toque salgado e derrete-se na boca...


























Para 8 pessoas usei:
4 Pepinos
4 Iogurtes Grego Natural
400gr lombo Atum fresco
1/2 Lima
Azeite
Sal
Pimenta
Flocos Malagueta seca qb

Num liquidificador bater os pepinos descascados e sem pevides até obter um creme homogéneo.
Acrescentar o iogurte, temperar com o sumo da lima, sal, pimenta e azeite.
Vai ao frio para refrescar.
Cortar o lombo de atum em pedaços finos e temperar com um pouco de sal (não é necessário muito).
Para servir, deitar a sopa nas taças, coloca-se o atum no meio, deita-se um fio de azeite e salpica-se com os flocos de malagueta.

Nota: Esta sopa foi baseada numa receita de José Avillez.

sábado, 27 de julho de 2013

Ricotta no Forno

Uma querida amiga ofereceu-me um ramo de oregãos lindos e cheirosos que estão num jarro na minha cozinha.
Olhei para eles e para uma embalagem de Ricotta que tinha no frigorífico e fez-se luz!
O queijo Ricotta é suave e leve. É uma versão do "nosso" requeijão, mas mais cremoso.
Servi quente que nem um souffle, para barrar numas tostas enquanto se "picava" alguma coisa.


























Para esta receita usei:
250gr queijo Ricotta (1 embalagem)
1 Ovo
Oregãos
Flocos de Malagueta qb
Sal e Pimenta qb

Numa taça bater o ovo, juntar o ricotta e temperar com os oregãos, malagueta, sal e pimenta. Provar.
Deitar numa taça que possa ir ao forno e salpicar com mais oregãos.
Vai ao forno (pré-aquecido) a 200º durante 20min ou até crescer uniformemente.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Pêssegos com Sabayon

O último jantar que descrevi aqui no blog, acabou de uma forma leve e doce.
Já estamos no verão e as frutarias à minha volta enchem-se de cores fortes e vibrantes. Não há nada como uns pêssegos maduros, doces e super perfumados.
Os figos também fazem as minhas delícias, talvez por me fazerem recordar os dias de verão do Alentejo, quente e doce.
Enfim, aos pêssegos e aos figos, juntei um molho sabayon de canela e Porto Tawny.



Para 8 pessoas utilizei:
4 Pêssegos maduros
8 Figos
6 gemas
75 gr Açúcar
15ml vinho Porto Tawny 10 anos
1 c. chá Canela em pó

Para o molho, colocar numa taça em banho-maria as gemas desfeitas com o açúcar. Mexer sem parar até obter um creme esbranquiçado. Juntar o vinho do Porto e a canela sem parar de mexer. Ir provando até obter a consistência desejada e o molho não estar demasiado alcoólico.
Se engrossar demasiado, pode-se juntar um pouco de água. Quando estiver pronto, deixar arrefecer um pouco, colocar papel aderente por cima do próprio molho de forma a não criar uma "capa" heterogénea, e vai para o frigorífico.
Numa travessa colocar os pêssegos cortados sem caroço, com a pele para baixo, no forno a 190º durante 30min. Nos últimos 10min colocar os figos cortados ao meio.
Servir a fruta morna e o molho frio.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Risotto de Polvo

Na continuação da descrição do último jantar da semana passada, o prato estrela foi sem dúvida o Risotto de Polvo.
O polvo estava tão tenro que não foi preciso faca para o cortar e o arroz absorveu todos os sabores; estava simplesmente maravilhoso.




Para 8 pessoas usei:
800 gr de Arroz Arbóreo
2 Polvos congelados de 2-3kg cada (Pingo Doce)
3 cebolas
2 dentes de Alho
1/2 Pimento vermelho
Salsa picada
1 copo Espumante ou vinho Branco
1L caldo Legumes
Azeite
Sal e Pimenta qb

Numa panela com um fundo de água, cozer os polvos sem descongelar, com uma cebola descascada.
Quando a cebola estiver tenra, os polvos também estarão. Reservar a água da cozedura quente.
Fazer um caldo de legumes e reservar quente.
Numa panela larga, colocar 2 cebolas picadas e refogar com um pouco de azeite.
Quando a cebola estiver aloirada, colocar o pimento cortado e o alho picado.
Quando estiver tudo refogado, juntar o arroz e fritar sem parar de mexer.
Quando o arroz começar a colar ao fundo da panela, juntar o vinho e continuar a mexer.
Quando o álcool tiver evaporado e começar a colar ao fundo da panela, regar com um pouco de caldo de legumes. Quando pegar ao fundo novamente, regar com o caldo do polvo e assim sucessivamente.
A meio da cozedura utilizar apenas o caldo do polvo e ir provando o arroz.
Juntar o polvo que então foi cortado ao arroz e continuar o processo.
Quando estiver "al dente", deitar mais caldo, rectificar os sabores e desliga-se o lume para ser imediatamente servido.
Antes de ir à mesa, salpicar com a salsa picada e servir.

Nota: Para fazer o caldo de legumes, basta colocar numa panela uma série de legumes a cozer com água. Normalmente não utilizo cenoura, abóbora ou espinafres. Utilizo cebola, nabo, aipo, alho francês, etc...

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Bife Tártaro

Adoro quando temos amigos a jantar que apreciam o que fazemos.
Quando a conversa corre da mesma forma que os copos são cheios, quando saboreiam os pratos que vão à mesa e depois há aquele silêncio de segundos... Adoro mesmo!
Ontem foi um jantar completo que começou com um Bife Tártaro.



Para 8 pessoas usei:
600gr de Lombo de Vitela (Aqui a qualidade e frescura é essencial)
1/2 cebola vermelha picada
1 ramo pequeno de Salsa
Alcaparras
Mostarda Dijon
Molho Inglês
Tabasco
Flor de Sal
Pimenta preta
2 Gemas de Ovo

Picar a carne com uma faca de forma a ter cubos muito pequenos.
Picar a cebola muito finamente.
Picar a salsa.
Numa taça misturar bem todos os ingredientes excepto as gemas e as alcaparras que serão adicionadas no fim.
Rectificar todos os temperos e antes de servir colocar as gemas e por cima as alcaparras.
Servir com umas tostas e uma salada fresca.

Nota: Abusar de todos os temperos uma vez que a carne absorve-os bem. As alcaparras poderão estar na mistura do bife ou por cima.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Bruschetta Figos

Eu adoro as frutas de verão; pêssegos, ameixas, melão, mas os figos é um dos meus frutos preferidos.
Para mim os melhores são aqueles que se comem directamente da figueira, mornos ao pôr-do-sol. Mas à falta de umas árvores à minha volta, comprei uns figos no supermercado ao lado de minha casa.
Esta bruschetta é muito simples e combina excelentes ingredientes; Presunto, queijo camembert e figos.


























Ingredientes:
Fatias de Pão finas
Fatias de Presunto
Fatias de Camembert
Figos
Mel
Azeite

Ligar o forno no grill.
Deitar um fio de azeite sobre o pão.
Colocar o presunto e o queijo sobre o pão e vai ao forno só para aloirar e derreter um pouco o queijo.
Colocar o figo por cima e deitar um fio de mel por cima de tudo.

Simples, não é?!

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Beef Wellington

Há anos que achava que um dos pratos difíceis de se fazer era o tão famoso Beef Wellington.
Difícil porque como é embrulhado numa massa, tradicionalmente folhada,  não se sabe se a carne está no ponto.
Ontem apresentei este prato a uns amigos que normalmente são os meus cobaias e devo dizer que só sobrou a fatia da vergonha.
O lombo Maronês foi o toque essencial neste prato. A carne quase que se conseguia cortar com o garfo de tão tenra que estava e os sumos todos estavam lá, super macia e suculenta.


Para este Beef usei:

1,5kg de Lombo de Vaca Maronesa
3 cuvetes de Cogumelos de Paris laminados
10 fatias de presunto
6 dentes de Alho esmagados
1 c. sobremesa Tomilho seco
0.75L Vinho Branco
1 folha Louro
Azeite
Massa Filo
1 c. sopa Manteiga derretida
Sal e Pimenta

Marinar a carne durante algumas horas com 0.5L vinho branco, 3 dentes de alho, sal, pimenta e louro.
Estufar os cogumelos em azeite, alho, tomilho, sal e pimenta. Quando estiverem aloirados, juntar o restante vinho branco e deixar que os cogumelos sequem. Picar tudo num 123 e reservar.
Numa panela larga, colocar azeite e com o lume no máximo, selar a carne 3-4 minutos de cada lado. Deixar repousar durante 20 min.
A carne precisa de estar bem selada, com uma crosta dourada à volta para depois não cozer por dentro. Este tempo é variável consoante o ponto que se quiser da carne. Mas para ficar mal passada 3 minutos de cada lado bastam.
Estender uma folha de película aderente numa superfície de forma a ter o triplo do tamanho do lombo.
Forrar a película com as fatias de presunto ligeiramente sobrepostas e barrar por cima a pasta dos cogumelos.
Colocar a carne num lado da película forrada com o presunto e cogumelos e vai-se enrolando com a ajuda da película de forma ao presunto cobrir a carne toda.
No fim embrulhar tudo com a película e vai ao frio arrefecer.
Aquecer o forno a 200º.
Untar 15 folhas de massa filo com manteiga (conforme instruções da embalagem), mais a mesma quantidade para os topos.
Retirar a carne do frio, colocar sobre a massa filo e embrulhar totalmente de forma a não ter aberturas.
Untar o rolo com manteiga.
Vai numa travessa untada ao forno durante 15-20min até a massa ficar cozinhada.
Quando estiver pronto, retirar do forno e deixar repousar durante 10 min antes de servir.

domingo, 30 de junho de 2013

Salada de Couscous e Frango

O Verão chegou, está um calorão lá fora e apetece tudo menos comida quente.
Também já estou um pouco farta daquelas saladas banais de alface, milho, tomate e frango.
Esta salada é habitual cá em casa, é fresca e dá para colocar mil e um ingredientes.


























Para esta salada usei:
Couscous
Peitos de Frango
Queijo Feta
Tomate coração de boi
Abacate
Milho
Passas
Rúcula
Amêndoas laminadas
Folhas de Menta
Azeite
Limão
Sal e pimenta preta

Cozer o couscous conforme instruções da embalagem umas horas antes e se possível colocar no frigorífico.
Grelhar o frango temperado com sal e pimenta. Deixar arrefecer e cortar em cubos.
Torrar as amêndoas numa frigideira e deixar arrefecer.
Desfazer o queijo em bocados pequenos.
Retirar a pele do tomate e cortar em cubos.
Cortar o abacate também em cubos.
Picar as folhas de menta.
Numa taça colocar o couscous e os restantes ingredientes.
Temperar com azeite, limão, sal e pimenta acabada de moer.
Para a salada ser muito fresca, é aconselhável ter os ingredientes no frigorífico antes de os usar.
Nesta salada não coloquei nenhuma medida pois deverá ser opcional ao gosto de cada um.

Blinis Salmão

Muitas vezes não cozinho, dedico-me apenas a juntar ingredientes que tenho em casa e "montar" na forma mais apetecível.
E assim, faço muitas vezes esta entrada; Blinis de Salmão fumado.

Aqui o ingrediente chave é o salmão fumado. Não é o típico salmão cortado em fatias finas, mas sim um lombo de salmão fumado de forma caseira comprado no IKEA. (Sim, é verdade. É tão bom que tenho sempre congelado em casa!)
O molho e o abacate dão frescura, acidez e as ovas dão uma textura e sabor maravilhoso.


























Para estes blinis usei:
Blinis de Batata (confesso que comprei já feitos, não tive paciência para fazer em casa) - El Corte Inglés
Lombo de Salmão fumado - Ikea
Abacate
Ovas de Salmão - El Corte Inglés
Iogurte natural
Aneto
Mostarda Dijon
Molho Inglês
Limão
Sal e Pimenta preta

Para o molho, numa taça colocar o iogurte, o aneto picado, a mostarda, umas gotas de molho inglês, umas gotas de sumo de limão, uma pitada de sal e pimenta qb.
Aquecer os blinis um pouco numa frigideira.
Cortar o abacate em fatias.
Num prato, dispor os blinis, colocar o abacate, o salmão, o molho, as ovas e por fim, salpicar com o aneto.

Este salmão é menos oleoso que o tradicional, por isso aguenta uma boa dose de molho por cima.

domingo, 16 de junho de 2013

Ovos de Domingo...

Hoje o meu marido pediu-me para não cozinhar nada pesado porque não tinha fome.
De facto, eu também não tinha fome e já me tinha mentalizado que não ia jantar. Assim, aproveitei para fazer uns ovos, já que normalmente não os como.

E de repente lembrei-me de fazer uns Ovos Benedict sobre uma torrada de pão alentejano, umas fatias de presunto de Parma, uns espargos grelhados e molho holandês.
Primeiro fiz um e depois tive que repetir a dose! 

Para o Molho Holandês:
2 Gemas desfeitas
1 c. sobremesa de molho Inglês
1 c. sopa de água
1 c. sopa de sumo de limão
80 gr de manteiga derretida
Sal e Pimenta preta acabada de moer

Para os Ovos:
2 fatias de Pão alentejano
2 Ovos
Presunto Parma
Espargos
Cebolinho
Sal grosso
gotas de Vinagre

Para o molho, colocar numa tigela todos os ingredientes excepto a manteiga derretida.
Colocar a tigela numa panela com água quente para cozer em banho-maria e não parar de mexer com umas varas. A água não deve ferver para as gemas não talharem.
Aos poucos acrescentar a manteiga à medida que o molho vai engrossando. Se ficar demasiado grosso, pode-se acrescentar um pouco de água.
Quando estiver pronto, é necessário tapar até ser utilizado para não arrefecer.

Grelhar os espargos limpos e arranjados.
Torrar as fatias de pão.
Aproveitar a panela com a água do banho-maria, juntar umas gotas de vinagre e deixar ferver. Colocar os ovos (um a um) para os escalfar durante 30 segundos.
Num prato colocar as fatias de pão, presunto, os espargos, os ovos escalfados e por cima deitar o molho holandês.
Salpicar com cebolinho.





quinta-feira, 13 de junho de 2013

Frango de baixa temperatura com Batatas salteadas

Hoje decidi aventurar-me por outro mundo, um mundo onde a temperatura não ferve e o tempo não passa; cozinhar em vácuo!
Este foi o primeiro passo, optei por ingredientes simples mas ficou bom, com sabores equilibrados e suaves.

Cozinhar em vácuo consiste em cozinhar qualquer coisa, desde proteínas a legumes num saco sem ar, em banho-Maria entre 50º a 60º durante várias horas. Isto faz com que os ingredientes sejam cozinhados nos seu próprio sumo e fiquem super tenros.
Para se determinar a temperatura e o tempo de cozedura ideal, há várias tabelas na internet.
Para o frango que fiz, cozinhei a 55º durante 2h.
Para mim o mais difícil foi controlar a temperatura da água. Tenho um termómetro bastante preciso, mas não tenho nenhuma panela que mantenha sempre a mesma temperatura, por isso estive eu a controlar sempre de termómetro em punho!


Usei por pessoa:
1 peito de Frango com pele
1 Batata vermelha de tamanho médio
1/4 Courgette
1/2 dente de Alho
1 copo vinho branco
Azeite
Manteiga
Sal e Pimenta qb
Saco de vácuo

Aquecer a água numa panela com a temperatura indicada.
Limpar o peito de frango, temperar com bastante sal e pimenta e reservar a pele.
Colocar o frango no saco de vácuo, retirar o ar todo e colocar dentro de água durante 2h.
Para as batatas, cortar em rodelas e colocar numa frigideira com um pouco de azeite, sal, pimenta, o alho bem picado e vinho branco. Tapar e deixar em lume brando até ficarem douradas de um lado e depois virar. No fim deitar uma noz de manteiga.
Grelhar as courgettes, temperar com sal e pimenta e reservar.
Colocar a pele do frango numa frigideira sem gordura e fritar até ficar estaladiça.
Antes de empratar, saltear o frango na gordura da pele e mais um pouco de manteiga e temperar.
Acompanhar com uma salada de tomate.


terça-feira, 4 de junho de 2013

Salada de Bacalhau

O verão começa a espreitar e começo logo a pensar em saladas e comida leve.
Esta salada faz-me lembrar o tempo em que vivi em Barcelona, quando ao fim do dia ia comer umas tapas antes de ir para casa.
Cá em Portugal, cozinha-se Bacalhau de mil e uma maneiras e esta, é mais uma delas.

Usei:
Bacalhau demolhado
Batata vermelha
Folhas Baby (alface, rúcula, agriões, espinafres, etc...)
Pimento vermelho assado
Tomate maduro sem pele
1/2 dente Alho esmagado
Azeitonas pretas
Azeite
Vinagre
Oregãos
Sal e Pimenta preta

Descascar as batatas e vão a cozer em água e sal até ficarem cozidas, mas sem se desfazerem.
Cozer o bacalhau em água a ferver durante 4 ou 5 minutos, para não ficar demasiado rijo. Retirar da água e desfiar em lascas grandes.
Quando as batatas estiverem cozidas, deixar arrefecer um pouco e cortar às rodelas.
Num prato ou taça, colocar as batatas no fundo, depois colocar o pimento, o tomate às fatias, as azeitonas, as folhas e por cima o bacalhau.
Para o molho, juntar o azeite, vinagre, o alho bem esmagado, os oregãos e um pouco de sal. Não se deve exagerar no sal pois o bacalhau já é salgado.
Temperar a salada com o molho e por fim, salpicar com pimenta preta acabada de moer.


























Como qualquer salada, não faço referência a quantidades, pois cada um pode colocar o que lhe apetecer na quantidade que quiser.
Também há a opção da salada ser preparada com alguma antecedência e estar completamente fria, embora eu aconselhe que o bacalhau deve ser servido à temperatura ambiente após a sua cozedura.


terça-feira, 28 de maio de 2013

Caprese de Beringela

Já estamos no fim de Maio e o calor ainda não chegou por estas bandas. Mas da mesma maneira que já não me apetece usar camisolas quentes, também já não me apetece comer comida muito quente e pesada.
Hoje ao almoço, sugerida por pedidos de receitas de beringela, fiz esta salada fresca e diferente.

Para uma dose individual usei:
1/2 Beringela
1 tomate
1 queijo fresco
Rúcula
Azeite
Sal e Pimenta

Cortar a beringela em fatias (entre 1/2 e 1cm) e grelha-las num grelhador quente. Temperar com um pouco de sal.
Cortar o tomate em fatias e temperar com um pouco de sal.
Cortar o queijo fresco em fatias e temperar com sal e pimenta
Colocar num prato uma fatia de beringela, depois uma fatia de tomate, depois uma fatia do queijo, depois a rúcula e repete-se até querer.
Deitar um fio de azeite por cima e já está!


























Em vez da rúcula pode-se usar manjericão e em vez do queijo fresco pode-se usar mozzarela de búfala.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Dip de Beterraba e Chévre

O meu marido não gosta de beterraba e isso é um ponto assente para ele. Mas para mim não é!
Já fiz sopa de mil e uma maneiras, mas ele diz que lhe sabe sempre a terra...
Como eu adoro qualquer forma, a textura, a cor, o sabor, estou sempre a tentar fazer com que ele goste.
Desta vez consegui!

Dip de Beterraba e Chévre:
3 Beterrabas cozidas
1/2 sumo de Limão
10 folhas de Hortelã
Azeite
Sal e pimenta
Queijo de cabra

Numa travessa colocar as beterrabas já cozidas a assar no forno a 180º durante 20min.
Quando estiverem moles, retirar a pele e colocar no copo liquidificador.
Juntar a hortelã, o azeite, o sumo de limão e temperar com pouco sal e pimenta.
Bater tudo muito bem até ter a consistência de um puré.
Provar, rectificar os temperos e colocar numa taça. Salpicar com queijo de cabra esfarelado por cima.
Acompanha gressinos ou tostas.






































Nesta receita o elemento chave é a hortelã que corta com o sabor terra e dá frescura.

terça-feira, 21 de maio de 2013

Uma espécie de Gaspacho

Não sei se posso chamar a esta sopa de gaspacho, era o que me apetecia ter feito, mas quando me apareceram uns amigos à porta, quis improvisar e oferecer algo fora do comum.
E assim foi!

Para a sopa de tomate:
Tomate maduro
Manjericão
Azeite
Sal
Pimenta
Açúcar (caso seja preciso cortar com a acidez do tomate)
Vai tudo para o liquidificador e coa-se num passador.

Para a sopa de pepino:
Pepino descascado e sem pevides
Azeite
Gotas de Vinagre
Sal
Pimenta
Vai tudo para o liquidificador e coa-se num passador.

Nesta sopa tem que se jogar com as espessuras e se for necessário pôr alguma das sopas mais espessas, junta-se miolo de pão no liquidificador, rectificam-se os temperos e põe-se nos copos.


quarta-feira, 8 de maio de 2013

Chocos com Coentros

Hoje tivemos uma visita surpresa para jantar.
Mas o bom desta visita inesperada é que não houve necessidade de fazer um jantar muito sofisticado. Bastou descongelar os chocos que tenho sempre no congelador e voilà!
Esta receita foi-me dada pelo meu Pai, não sei se fica tão boa como a dele, mas nunca falha!

Para 3 pessoas precisei:
2 x 500gr Chocos limpos Ultracongelados
1 molho de Coentros frescos
1 cabeça de Alho
1 c. sopa Azeite

Descongelar e escorrer bem a água dos chocos.
Picar num "123" os alhos e os coentros.
Numa panela de pressão (ou outra normal), pôr o azeite e refogar um pouco a massa de coentros.
Colocar os chocos escorridos no refogado e aloirar em lume alto.
Quando estiverem todos envolvidos no refogado, fechar a panela e deixar durante 1 hora e meia.
Se for numa panela normal, deixar 3 horas em lume baixo.

Nota: Não colocar sal pois os chocos já são salgados.



quinta-feira, 2 de maio de 2013

Tártaro de Atum

Quando no outro dia vi um lombo fresquissimo de atum vermelho na peixaria, nem queria acreditar. Comprei tudo!
Arranjei, cortei nacos e congelei.
Hoje, decidi descongelar um bocado e fazer um tártaro de atum.
Quando o peixe é bom, não precisa de grandes temperos, e neste caso, não levou nada!

1 porção grande leva:
150gr Atum Vermelho
1 1/2 Abacate
1/2 Lima
1 fio Azeite
Sal e Pimenta qb
Sementes de Sésamo qb
Molho de soja para acompanhar

Descascar o Abacate, desfazer com um garfo para ter uma textura heterogénea, com alguns bocados maiores. Temperar com o sumo da Lima, Azeite, Sal e Pimenta.
Colocar num aro ou num molde e vai ao congelador durante 1/2h até empratar.
Cortar o Atum em bocados pequenos com uma faca e colocar por cima do Abacate, dentro do aro, que acabou de sair do congelador.
Salpicar com as sementes de Sésamo e retirar o aro antes de ir para a mesa.
Acompanhar com molho de soja baixo de sódio.

























Se não quiser acompanhar com molho de soja, pode-se temperar o Atum com Sal e Cebolinho.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Terrina de Salmão

Há uns ingredientes básicos para se oferecer de entrada num jantar; salmão fumado, abacate e Philadelphia.
E depende de como se emprata, faz mais ou menos figura.
Desta vez fiz em terrina e ficou mesmo apetecível!

Para 6 pessoas:
500 gr de Salmão fumado
1 Pêra Abacate
1 Lima
100gr queijo Philadelphia
1 ramo de Endro
1 fio de Azeite
Sal e Pimenta qb

Untar uma forma rectangular (10x15cm) com um pouco de azeite e forrar com papel anti-aderente até ficar sem bolhas de ar.
Colocar o abacate com sumo da lima, azeite, sal (pouco) e pimenta no 123 até obter uma pasta homogénea.
Picar o endro e misturar com o philadelphia.
Para empratar comece por forrar a forma com o salmão de modo a que as fatias não se sobreponham, depois o abacate, salmão novamente, philadelphia, salmão e assim sucessivamente.
Acabe com salmão por cima.
Cubra com papel anti-aderente e vai ao congelador no mínimo 1hora.

Retire do congelador 15min antes de servir. Corte fatias do tamanho de 1 dedo enquanto está congelado e sirva num prato com salada de agriões temperada com azeite e lima.



Sopa de Peixe lá de casa

Em modo de continuação de uma alimentação saudável, fiz esta noite uma sopa como prato principal que adoro: Sopa de Peixe.

Lembro-me de ser miúda, chegar a casa faminta de fome e atacar a sopa acabadinha de fazer que iria ser servida ao jantar.
Adorava lanchar sopa, era um misto de proibição com um prémio por estar a comer a sopa ainda quente e não reaquecida para o jantar.
As únicas vezes em que isso não acontecia era quando era sopa de Peixe. Aí já era um pouco "pesado" para o lanche...

Enfim, esta sopa levou os seguintes ingredientes para 4 pessoas:
2 Cebolas em rodelas muito finas
2 dentes de Alho picados
4 Tomates sem pele e cortados às rodelas
1/2 Pimento vermelho cortado fino
2 ou 3 postas de Peixe variado
1 molho de Coentros
1/2 c. sopa de Azeite
1/2 copo de Vinho branco
Sal e Pimenta qb

Numa panela colocar metade do tomate, a cebola, o alho, o pimento, o restante tomate, uns ramos de coentros grosseiramente picados, o fio de azeite, o vinho, sal e pimenta.
Tapar e deixar em lume brando.
Noutra panela, cozer o peixe em água a ferver e sal até o peixe ficar quase cozinhado.
(Não se deve cozinhar demasiado o peixe uma vez que ainda terminará de cozinhar na sopa.)
Quando o peixe estiver cozido, retire da água e reserve esta.
Deite a água da cozedura na panela do tomate e deixe cozinhar. Nesta altura pode-se aumentar o lume para acelerar o processo.
Limpe o peixe de pele e espinhas e reserve.
Quando a cebola estiver tenra, triture a sopa grosseiramente com uma varinha mágica.
Rectifique os temperos.
Antes de servir, coloque o peixe na sopa para acabar de cozinhar.
Quando servir, pode colocar umas folhas de coentros acabados de cortar.

 O peixe deverá ser branco tipo pescada, garoupa, corvina, raia, etc... Eu gosto de misturar 2 ou 3, mas depende muito do que se encontrar fresco.


domingo, 28 de abril de 2013

Envelope de Frango

Muitas vezes, depois de grandes e pesadas experiências gastronómicas, é preciso voltar às bases e comer pratos leves, simples e pouco calóricos.
Além disso, foi-me pedido para explorar este lado mais saudável da cozinha, assim, começo agora esse desafio com um Envelope de Frango com Legumes.

Para 1 dose individual:
1 peito de Frango sem pele
1/2 Courgette ralada
1/2 Cenoura ralada
1/2 Cebola ralada
Coentros qb
1/2 colher de sopa de Azeite
Sal e Pimenta qb

Sobre uma folha de papel de alumínio, fazer uma cama com os legumes ralados, temperar com sal e pimenta.
Colocar o peito de frango em cima, temperar novamente com um pouco de sal e pimenta, deitar um fio de azeite e pousar os coentros por cima.
Embrulhar como um envelope bem fechado e vai ao forno pré-aquecido a 220º durante 25min.

O bom desta receita, é que além de ser óptima, faz vista aos convidados e pode ser preparada de véspera!

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Estrelas Yeatman

Na semana passada fui jantar ao Yeatman com o meu Marido.
Foi um dos 3 jantares pertencentes à "Rota das Estrelas"; vários Chefes com várias Estrelas Michelin.
Foi de facto uma experiência e o mais enriquecedor, além dos pratos maravilhosos, foi a interacção dos Chefes que ficaram sentados ao nosso lado na mesa.

Começámos pelo Chefe Vincent Farges com "Bivalaves da Ria Formosa"
Geleia de coentro, algas e espuma de marinière perfumada com combawa.
Pode parecer um prato complicado, mas os sabores eram simples e muito harmoniosos.

Chefe Albano Lourenço com "Lavagante Azul"
Lavagante azul, percebes e texturas de tomate.
Havia um gelado de tomate que "casava" lindamente com o lavagante suave.

Chefe Ricardo Costa com "Gema Líquida"
Streusel de avelã e pele de frango estaladiça.
Parecia um prato leve, mas embora a espuma seja leve, o prato era bastante encorpado.








Chefe Ricardo Coste e Chefe José Cordeiro "Porco Bísaro de Bragança"
Porco bísaro de Bragança e couscous
Além de ser um prato bonito, era muito saboroso.






































Chefe Vitor Matos "Pêssego Melba"
Este pêssego foi a melhor terminação possível do jantar.
Feito com um ovo de chocolate branco, a fingir de pêssego, recheado com espuma de baunilha acompanhado gelado de pêssego e coulis de frutos vermelhos... Sem palavras!

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Hamburger cá de casa

Hoje apanhei esta mensagem no Instagram e veio mesmo a calhar para este post.

























Há dias em que me apetece AQUELE hamburger. Eu não costumo comer fast food e para mim, não há nada melhor que um hamburger feito em casa, com os ingredientes certos e nada gordurosos.

Para este Hamburger usei:
Carne Alentejana picada
Cebola
Pimento vermelho
Bresaola
Queijo Gouda
Pera Abacate
Alface
Tomate Chucha
Manjericão
Pão redondo a gosto
Azeite, sal e pimenta q.b.

Aqui o ingrediente chave é a carne que tem de ser de primeiríssima qualidade. Eu gosto da carne muito mal passada, assim fica mais macia e saborosa.
Cortar a cebola às rodelas muito finas e estufar em azeite até ficarem macias.
Estufar os pimentos cortados em fatias finas para ganharem doçura.
Cortar o abacate em fatias finas.
Grelhar a carne em lume alto para selar bem por fora e não cozinhar demasiado por dentro. Temperar com sal e pimenta e colocar o queijo por cima para derreter um pouco.
Colocar a carne e o queijo sobre o pão, depois colocar a cebola e o pimento. Continuar a colocar por cima a bresaola para dar um toque fumado, o abacate e a alface.
Para o molho de tomate, triturar o tomate com majericão, azeite, sal e pimenta.

Sei que este hamburger é uma "pilha" de coisas, mas a verdade é que não ficou nem pesado nem seco.




quinta-feira, 11 de abril de 2013

Salada de Frango simples

Isto de estar sempre a jantar fora tem que se lhe diga, é fantástico experimentar coisas novas, ambientes diferentes, mas às tantas, preciso de um reset e fazer uma comida saudável.
A chuva também parece que nos está a dar umas tréguas e ando a sonhar com umas saladas frescas.

Aqui segue a receita da minha salada de frango:
Alfaces variadas
Frango grelhado (normalmente ponho frango assado)
Maçã aos cubos
Espargos
Rabanetes cortados em fatias finas
Abacate
Pinhões torrados
Centros picados grosseiramente

Para o molho:
Azeite
Limão espremido
Mostarda com sementes
mel
Sal e pimenta

Não coloquei quantidades de nada nesta receita, pois cada um pode pôr as quantidades que quiser conforme quiser. É uma receita muito simples, muito fresca mesmo como me apeteceu neste dia!


Salmão, Atum, Sésamo e Malaguetas

Ando desaparecida deste canto.
Além de estar longe de casa e da minha tábua de cozinha, ando a saltar de restaurante em restaurante a ter algumas experiências gastronómicas.
Na semana passada passei pelo meu restaurante preferido de Sushi.
Já escrevi antes sobre o restaurante Quarenta e 4 e o sushiman Ruy Leão.
Nunca me canso de lá ir, o peixe é simplesmente fresquíssimo, o Ruy dá-nos uma atenção fora de série e o sushi que nos apresenta é de cortar a respiração. Porque além de ser maravilhoso, é lindo!
Enfim, partilho a entrada que comemos; Salmão e atum com sementes de sésamo e malaguetas.




sábado, 30 de março de 2013

Arroz de Grelos com Mouras

À continuação do Cabaz transmontano que me apareceu em casa, estava um molhe de grelos enormes e lindos e umas Mouras. 
As Mouras são tipo uma alheira bastante escura, mesmo negra (daí o nome), feita com sangue.
Assim, para não desperdiçar nenhum dos ingredientes, decidi fazer um arroz de grelos com Mouras.
Sei que para alguns não parece ser um prato apetecível, mas enganam-se, é maravilhoso!

Ingredientes para 6 pessoas:
2 Cebolas
2 dentes de Alho
3 Mouras
1 molho de Grelos
Arroz
Azeite
Sal e Pimenta

Fazer um refogado de cebola e alho. Juntar os grelos, as mouras e tapar. Os grelos vão reduzir e as mouras vão ficar mais macias.
Quando os grelos estiverem cozinhados, retirar 2 mouras e desfazer a outra no tacho.
Com lume forte, juntar o arroz e fritar.
Juntar água para fazer o arroz e rectificar de sal e pimenta.
No fim da cozedura do arroz, juntar as restantes mouras cortadas aos bocados.
Este arroz deve ser caldoso e deve ser servido enquanto está húmido.

Quem é que se atreve?




quinta-feira, 28 de março de 2013

Costela Mindinha

Há 2 dias atrás bateram-me à porta com um cesto de produtos transmontanos vindos da mercearia "Casa dos Infanções" aqui no Porto. E o melhor de tudo foi que nem tive de sair de casa.

Começo por explicar o que fiz com a Costela Mindinha de vitela Barrosã, que é a Aba da vitela.
Já tinha provado uma vez num restaurante, mas achei que era uma parte muito gorda, embora seja uma gordura natural, senti que precisava de algo para cortar a gordura, como algo ácido ou doce. Optei por usar laranjas que conferiram um toque caramelizado e não excessivamente doce.

Ingredientes 2 pessoas:
1 Aba ou Costela Mindinha (500gr)
Sumo de 3 Laranjas
2 dentes de Alho esmagados
1 c café de pasta Piri-piri
1 folha de Louro
Sal e Pimenta

Deixar a carne a marinar durante 2h no sumo das laranjas, alho, louro, piri-piri, sal e pimenta.
Aquecer o forno a 160º de deixar a carne com a marinada durante 2 horas. Ir regando de vez em quando para não secar.

A gordura vai derretendo e envolvendo todos os ingredientes. No final, o molho fica maravilhoso e a carne também!